Menu

XXIV Fórum Amazônia Legal discute assuntos de interesse econômico e comercial

Discutir assuntos de interesse geral aos estados da Amazônia Legal e, ainda, trocar experiências, com avaliações acerca da economia e comércio local. Foi com este objetivo que representantes das Federações do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio), juntamente com diretores do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) do Acre, Amazonas, Amapá, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Tocantins, se reuniram, nesta quinta-feira, 20, para a abertura do XXIV Fórum Amazônia Legal. O evento se estende até o próximo sábado, 22, no Comfort Hotel.

O Fórum pretende fortalecer as entidades junto a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e promove uma aproximação ainda maior entre as instituições. A intenção é adequar às formas de atuação e facilitar parcerias. Esta é a segunda vez que o Acre é escolhido como sede do evento.

Para o presidente da Fecomércio/AC, Leandro Domingos, o que enobrece o Fórum, nesta edição, é o nível de participação. “Este é um dos encontros com o maior número estados participantes, com presidentes, superintendentes e assessores jurídicos das federações, além de diretores regionais do Sesc e Senac. São aproximadamente 90 pessoas integrando este momento para discutir os problemas que afligem os setores”, comenta.

Domingos ressalta, ainda, a importância de abordar a conjuntura nacional para que os estados possam se readequar aos novos tempos. “Além do mais, temos uma motivação muito boa, que é aproximar mais, formar grupos em defesa da Amazônia, de modo que ela [a Amazônia] seja vista com bons olhos. A união de todos faz com que possamos viabilizar ainda mais recursos para a nossa região”, acredita.

A diretora regional do Sesc/AC, Débora Dantas, diz que o sentimento comum aos representantes acreanos é de orgulho. “Nos reunimos semestralmente e discutimos os assuntos pertinentes ao Sesc, Senac e Fecomércio em cima do nosso momento. É tudo pelo bem comum da Amazônia”, reflete.

Para a diretora regional do Senac/AC, Hirlete Meireles, a troca de experiências é importante para o fortalecimento da união. "Um projeto que deu certo no Amapá pode dar certo aqui, e um que deu certo aqui, pode ser utilizado em outros estados. Essa é a importância de todo esse evento".

“As economias se assemelham”

O presidente da Fecomércio/AM e do Fórum da Amazônia Legal, José Roberto Tadros, reitera o momento da Amazônia. “As economias se assemelham grandemente, e o descaso para com a Amazônia é realmente idêntico a todos os estados componentes. A Amazônia sempre foi deixada em segundo plano e, em um nível de federação, nos reunimos com um objetivo não particularizado, mas como uma visão macro”, reitera.

Tadros relembra que a Amazônia precisa de investimentos e ser olhada com mais respeito. “Representamos um território de forma integral que corresponde a 2/3 do Brasil. Precisamos ser vistos e reivindicar melhorias para a região”, finaliza.

back to top

O SESC